Saindo do Ninho – Treino para o Indomit 100 km


É sempre recomendável conhecer o percurso de uma prova na medida do possível. É algo que raramente fiz, simplesmente porque sou pouco metódico, pelo menos na hora de me preparar para um evento. Faço geralmente o que dá vontade, como correr descalço 12 km em trilhas um dia antes de uma prova de duathlon. Mas isso é porque não corro pelo resultado e sim pelo prazer. Continue lendo “Saindo do Ninho – Treino para o Indomit 100 km”

Estrelas Cadentes


Desde criança fui um aficionado do esporte. Acompanhava tudo que podia: basquete, futebol. voleibol, atletismo, natação, tênis, etc. Difícil não haver um esporte pelo qual não me interessava. Procurava aprender sobre a história, sabia sobre os principais atletas, recordes e as regras de cada modalidade. Era uma espécie de Wikipédia ambulante, antes do Wikipédia existir. Continue lendo “Estrelas Cadentes”

Powerman Brasil 2016 – Sprint


Minha história com o triathlon começou com o Ironman 2013. Foi a minha primeira prova nessa modalidade. Fiz três Ironman Florianópolis em anos consecutivos e desde ano passado decidi concentrar meus esforços na corrida. Não porque eu não goste de pedalar ou nadar. Foi uma escolha para permitir que eu dedicasse mais tempo à modalidade mais simples de praticar e na qual eu sentia maior capacidade. Acho que fiz uma boa escolha, pois a corrida tem me dado muitos momentos de alegria e alguns bons resultados, mesmo para alguém que começou a correr seriamente com 34 anos de idade. Apesar disso, continuo a praticar a natação, agora exclusivamente em águas abertas, e o ciclismo de forma mais recreativa. Em função disso, tenho ainda condições mínimas de participar em provas de triathlon, aquathlon e duathlon. Continue lendo “Powerman Brasil 2016 – Sprint”

Uma tarde com o Luqui: trilhas, conversas e um espresso, por favor.


Quando o meu amigo do triathlon Lucas Helal, o Luqui, pediu para levá-lo para correr em trilhas, inicialmente minha reação foi de surpresa, depois satisfação por ele ter me escolhido. O Lucas é um atleta muito forte que conheci no ano passado em um longo de bike. Depois desse dia conversamos ocasionalmente e mantivemos algum contato, mas há tempo não nos falávamos. Ele queria uma experiência nova. E se tem uma coisa que eu adoro fazer é propor uma corrida, um pedal, ou qualquer outra “aventura”. Gosto de planejar, pensar nos detalhes, o que, como e quando. Para mim é como se estivesse compondo uma obra, onde tanto prelúdio quanto o epílogo são componentes essenciais. Continue lendo “Uma tarde com o Luqui: trilhas, conversas e um espresso, por favor.”

Abebe Bikila – o primeiro de uma era


As gerações mais novas talvez desconheçam esse gigante da corrida, mas qualquer corredor que já ostenta cabelos grisalhos não é estranho aos feitos de Abebe Bikila. Há um ressurgimento no interesse por Bikila, não apenas pelas suas vitórias, mas porque correu a Maratona das Olimpíadas de Roma de 1960 descalço, e venceu.  Continue lendo “Abebe Bikila – o primeiro de uma era”

Giro dello Espresso


Hoje foi dia de pedalar com o Alírio Seidler, um cara muito forte no pedal. Diria até uma máquina. Ele é deficiente visual, o que significa que quando pedalo com ele é em uma tandem, eu de capitão e ele de fogueiro, o que coloca a lenha ou carvão no forno.

Saímos com a intenção de fazer um pedal leve, talvez com uma subida do Morro da Lagoa. O tempo estava ótimo, ensolarado e não muito quente. O meu joelho direito anda incomodando um pouco por causa das estripulias das últimas semanas, então eu não queria abusar muito.

Continue lendo “Giro dello Espresso”

Treino Rolé ao redor da Lagoa


Ano passado pude fazer pace para uma dupla feminina numa das mais belas provas de Florianópolis, o Mountain Do Lagoa da Conceição. A oportunidade dada permitiu com que eu corresse os 65 km oficiais da prova, percorrendo praias, trilhas, muitos morros e um pouco de asfalto. Continue lendo “Treino Rolé ao redor da Lagoa”

Scott Jurek – o indomável


Scott Jurek poderia se dizer, é de outro planeta. Um menino franzino que mal conseguia acompanhar os colegas de colégio tornou-se uma lenda da corrida, insuperável em muitos aspectos. As dificuldades da vida forjaram esse menino frágil numa espécie de Deus da corrida, de uma força interior indomável. Continue lendo “Scott Jurek – o indomável”

Emil Zátopek – o terrível, a locomotiva, mas acima de tudo, um grande ser humano


Emil Zátopek está para o atletismo assim como Pelé para o futebol, Eddy Merckx para o ciclismo e Michael Jordan para o basquete. Pelo menos naquilo que concerne o seu êxito no esporte. Mas Zátopek vai além, pela forma como revolucionou o treinamento das provas de fundo e também pelo grande ser humano que foi. Continue lendo “Emil Zátopek – o terrível, a locomotiva, mas acima de tudo, um grande ser humano”

Subida ao Morro das Antenas, coincidências, o paradoxo de Zeno, o universo, o amor, e a finitude da vida.


Trabalho em Joinville há seis anos e tenho um colega que mora em Jaraguá do Sul, mas até pouco tempo atrás, não sabia da existência do Morro das Antenas.

De antemão quero deixar claro que acredito em coincidências, na aleatoriedade de eventos. Há um excelente livro sobre o assunto, O Andar do Bêbado – como o acaso determina nossas vidas, do físico americano Leonard Mlodinow. É uma ótima leitura.

Continue lendo “Subida ao Morro das Antenas, coincidências, o paradoxo de Zeno, o universo, o amor, e a finitude da vida.”